A Rede Nacional do Artesanato Cultural Brasileiro é uma iniciativa da Artesol, organização sem fins lucrativos brasileira, fundada em 1998 pela antropóloga Ruth Cardoso. Seu objetivo principal é promover a salvaguarda do artesanato de tradição cultural no Brasil. Por meio de diversas iniciativas, a Artesol apoia artesãos em todo o país, revitaliza técnicas tradicionais, oferece capacitação, promove o comércio justo e dissemina conhecimento sobre o setor.

Associação Artesanal Xique Xique de Pedro II


A arte de dormir em rede se torna ainda mais mágica com as tecelãs da Associação Xique Xique. Coloridas, estampadas, com franjas ou sem, de algodão e outras fibras naturais. Além das redes, a associação também produz tapetes, bolsas e colchas.

Mostrar contatos

AbrirFechar

Os contatos devem ser feitos preferencialmente via Whatsapp.

Telefone (86) 98136-9045
Contato Maria Alves
Rua Epifanio Retirana, 1300 Bairro Santa Fé, CEP 64255-000, Pedro II – PI

A Artesol não intermedeia relações estabelecidas por meio desta plataforma, sendo de exclusiva responsabilidade dos envolvidos o atendimento da legislação aplicácel à defesa do consumidor.

Sobre as criações

No embalo suspenso da rede se aprende a dormir profundo…
aprende os segredos do sonho,
do coração…
aprende a amar.

Raquel Lara Rezende

A arte de dormir em rede se torna ainda mais mágica com as tecelãs da Associação Xique Xique. Coloridas, estampadas, com franjas ou sem, de algodão e outras fibras naturais, são necessários cerca de quinze dias para a confecção de uma rede. Isso porque as mesmas são produzidas em tecelagem de grade e de parede, onde se tece manualmente, e no tear de macaco, o mais antigo que existe na tecelagem. As tecelãs manipulam diversas técnicas, como a tapueirana, o ponto mais antigo conhecido em Pedro II, o ponto catado que pega fio por fio para compor os desenhos, olho de pombo que deixa a rede furadinha, entre outros. Além das redes, a associação também produz tapetes, bolsas e colchas.

Associação Artesanal Xique Xique de Pedro II / Crédito das fotos: Divulgação

Sobre quem cria

Xique xique é um cacto típico do semi-árido brasileiro que serve como fonte de alimento tanto para o homem quanto para os animais de criação, na época de seca. Em seu caule macio se pode encontrar grande reserva de água que fica protegida pelos fortes espinhos. As tecelãs de Pedro II expressam a resistência do cacto e, por sua força e significado simbólico para a região, o escolheram para dar nome à Associação. Ele também aparece como um dos temas preferidos das artesãs.

A criação da Associação Artesanal Xique xique é consequência da grande expressão que a tecelagem possui na cidade de Pedro II. A confecção de redes foi introduzida na cidade no final do século XIX, pelas freiras.

Honorinda, Mariana e Severa que acompanhavam o padre Joaquim de Oliveira Lopes que ali se estabeleceu. Hoje, o processo de confecção do grupo é focado nas tradições locais de tecelagem e nos pontos pontos típicos da região, como o “olho-de-pombo”, o “tapeueuirana” e o “catado” que são passados de geração em geração.

A Associação Xique-Xique é formada por três grupos: Santa Fé, na área urbana do município, onde fica a parte administrativa e comercial; São João e Barroca, na zona rural. Os grupos possuem uma unidade de produção, e ao mesmo tempo gozam da possibilidade de autonomia, tanto na escolha dos temas presentes na tecelagem, como nos pontos utilizados.

Associação Artesanal Xique Xique de Pedro II / Crédito das fotos: Divulgação

Sobre o território

Pedro II, também chamada de “Suíça piauiense”, por conta do clima ameno da cidade que se encontra na região serrana. Possui uma vegetação que se caracteriza pela transição entre o cerrado, carrasco e mata dos cocais, sendo muito comum a presença dos jatobás, cajueiros e muricis. Conta com cursos d’água temporários, formados na época das chuvas, como os rios Parafuso, Corrente, Capivara e Matos.

A cidade também é conhecida como a “terra da opala”, uma pedra preciosa encontrada apenas em dois lugares no mundo: na Austrália e em Pedro II. A extração dessa gema é uma importante atividade econômica da região, assim como o turismo, que nos últimos anos tem crescido, a atividade agrícola e a tecelagem. O turismo se centra na paisagem surpreendente da região, rica em cachoeiras, grutas e mirantes. As joalherias e a tecelagem também chamam a atenção do turista que se encanta com o ambiente colonial criado pela arquitetura portuguesa.

Membros relacionados