A Rede Nacional do Artesanato Cultural Brasileiro é uma iniciativa da Artesol, organização sem fins lucrativos brasileira, fundada em 1998 pela antropóloga Ruth Cardoso. Seu objetivo principal é promover a salvaguarda do artesanato de tradição cultural no Brasil. Por meio de diversas iniciativas, a Artesol apoia artesãos em todo o país, revitaliza técnicas tradicionais, oferece capacitação, promove o comércio justo e dissemina conhecimento sobre o setor.

Associação de Artesãos de Sítio Riacho Fundo


Através da produção artesanal de bonecas, a associação muda a história dos moradores de Riacho Fundo e tem fortalecido a autoestima e melhorado a qualidade de vida da comunidade.

Mostrar contatos

AbrirFechar
Telefone (83) 98879-9386
Contato Nubia da Costa
Riacho Fundo – Zona Rural, CEP 58135-000, Esperança – PB

A Artesol não intermedeia relações estabelecidas por meio desta plataforma, sendo de exclusiva responsabilidade dos envolvidos o atendimento da legislação aplicácel à defesa do consumidor.

Sobre as criações

As bonecas de pano habitam o imaginário brasileiro e sempre estiveram presentes nas infâncias de muitas meninas e meninos em todos os cantos do território. São uma herança das etnias africanas que confeccionavam as abayomis, bonecas feitas com retalhos de tecido. Em muitas civilizações, a boneca representa a imagem que se tem do que é um ser humano para aquela cultura. Assim, as artesãs homenageiam, com suas bonecas, os filhos, vizinhos, os pais e avós, honram a memória daqueles que se foram, e deixaram saudades, e dão vida aos personagens que fizeram parte da infância de muitos da comunidade, como os lendários cangaceiros Lampião e Maria Bonita. Também retratam figuras que aludem a momentos marcantes em suas vidas, como os noivos, e a festas populares, como a festa junina. As bonecas são conhecidas como bonecas da sorte, e são símbolo de prosperidade e paz. São confeccionadas com pano cru, tecido de chita, fitas, bicos de renda e linha de crochê e costura. Podem ser grandes, pequenas, com diferentes cores de pele e cabelos..

Artesãs e suas criações. Crédito Artesol

Sobre quem cria

A artesã Socorro e suas irmãs desde a infância se dedicaram a confeccionar bonecas e, com elas, sonhos. No início, produziam as bonecas para brincar, entretanto, depois de uma grande estiagem na região, passaram a trocar as bonecas, também chamadas de bruxinhas, por alimentos e, mais tarde, começaram a comercializá-las, e, assim, puderam ajudar no sustento de suas famílias.

A Casa da Boneca Esperança nasceu dessa história através da iniciativa de Socorro e Aderita, com a mediação da Artesol. Na época da fundação, Socorro ofereceu diversas oficinas, por ser reconhecida na comunidade como mestra na arte de confeccionar bonecas. Hoje, se reúnem na Casa cerca de 40 artesãos, de 13 a 72 anos, inclusive homens, na produção dos mais diversos tipos de bonecas. O projeto mudou a história dos moradores de Riacho Fundo e tem fortalecido a autoestima e melhorado a qualidade de vida da comunidade.

Artesãs e artesão em frente à sede da Associação de Artesãos de Sítio Riacho Fundo. Crédito Artesol

“Boneca de trapo silenciosa,
que és companhia da menina,
tu sabes ser sempre carinhosa,
isso é algo que não se ensina”

José Couto

Sobre o território

Riacho Fundo é zona rural de Esperança, cidade do agreste paraibano. O agreste é o meio do caminho entre a zona da mata e o sertão nordestino. Lá, onde o sol brilha majestoso no reino do semiárido paraibano, colorido pela caatinga, encontra-se Esperança. Qualidade de sentimento muito preciosa para os moradores que sofrem com as fortes e frequentes estiagens. A 145 km da capital do estado, João Pessoa, Esperança é considerado um dos municípios que mais sofrem com a pobreza. A agricultura familiar, com o cultivo da batata, milho e feijão, e uma modesta pecuária são as principais atividades de subsistência. Por conta das condições climáticas, a produção agrícola se destina basicamente para o sustento familiar, e o artesanato das bonecas de pano tem assumido cada vez mais um importante lugar na geração de renda local.

O povoado de Riacho Fundo abriga cerca de 250 pessoas, e conta com um grupo escolar que atende até a primeira série do ensino fundamental, um posto de saúde, uma Associação de Produtores Rurais, a capela São Pedro e a Associação Casa de Boneca. Na localidade, fazer boneca sempre fez parte do cotidiano das mulheres de uma família. Essa prática sempre foi conhecida pelas pessoas do lugarejo. Algumas, inclusive, encomendavam as bonecas das artesãs. A atividade que antes se restringia a poucas artesãs, hoje faz parte da vida de muitos moradores de Riacho Fundo.

Crédito das fotos: Artesol

Membros relacionados