A Rede Nacional do Artesanato Cultural Brasileiro é uma iniciativa da Artesol, organização sem fins lucrativos brasileira, fundada em 1998 pela antropóloga Ruth Cardoso. Seu objetivo principal é promover a salvaguarda do artesanato de tradição cultural no Brasil. Por meio de diversas iniciativas, a Artesol apoia artesãos em todo o país, revitaliza técnicas tradicionais, oferece capacitação, promove o comércio justo e dissemina conhecimento sobre o setor.

Associação de Artesãos de Saubara


A Associação de Artesãos de Saubara divide-se na produção de duas tipologias de artesanato: o trançado de palha e a renda de bilro.

Mostrar contatos

AbrirFechar

Os contatos devem ser feitos preferencialmente via Whatsapp.

Rua Francino Borges dos Reis, 65 – Rocinha, CEP 44220-000, Saubara – BA

A Artesol não intermedeia relações estabelecidas por meio desta plataforma, sendo de exclusiva responsabilidade dos envolvidos o atendimento da legislação aplicácel à defesa do consumidor.

Sobre as criações

Quando a mãe da gente tá grávida e fica com aquela barrigona
Aí fica o som dos bilros
Quando a gente nasce que vê os bilros diz:
Ah, isso que é renda!
Porque do som

Maria do Carmo – rendeira

A Associação de Artesãos de Saubara divide-se na produção de duas tipologias de artesanato: o trançado de palha e a renda de bilro. Cada qual com suas características individuais, utilizando matéria prima e técnicas diversas, conservam em comum o fato de serem ambas ocupações femininas, domésticas e passadas de mãe para filha.

O dia das mulheres de Saubara é ritmado pelas marés e suas horas dividem-se entre suas duas ocupações principais: o artesanato e a mariscagem. Atividades complementares, ocorrem em períodos opostos dos dia e o que determina os horários são as marés. Isso porque é o movimento das águas que definem a possibilidade de coleta dos mariscos, enquanto a renda ou o trançado completam o dia de trabalho.

O aprendizado da técnica é treino do corpo e encontra-se na relação geracional entre mãe e filha. Por ser uma técnica de raiz feminina e doméstica, as trocas ocorrem num ambiente de intimidade e os primeiros pontos se dão em tom de brincadeira. Aos poucos envolve-se no cotidiano produtivo, onde a geração de renda está intimamente costurada à valores afetivos.

Crédito da foto: Helena Kussik

Crédito das fotos: Helena Kussik

Trançado de Palha

O trançado de palha em Saubara é tradição herdada das índias tupinambás, antigos habitantes da região. É uma técnica passada de mãe para filha e trabalha com a palha seca da palmeira de ouricuri ou licuri.

Após seca, a palha é trançada com de sete, onze ou quinze palhas, formando tiras de três larguras. As tiras prontas são unidas com auxílio de uma agulha de mocó e uma linha feita da própria palha, resultando em produtos diversos como bolsas, mocós, chapéus, esteiras e utilitários domésticos.

O desmatamento para loteamentos e pastagens, que tem sido constante na região, tem reduzido o número de palmeiras e dificultado o acesso das artesãs à matéria prima essencial para o trançado. 

Renda de Bilro

De herança portuguesa, a técnica de tecer com bilros – ou costurar a renda, como se diz em Saubara – instalou-se em nosso território há mais de quatro séculos. Presente especialmente em cidades litorâneas, cada localidade desenvolveu características próprias, utilizando a técnica e explorando os materiais e instrumentos de maneira única.

A almofada cilíndrica é disposta em um suporte de madeira que alinha o trabalho à altura ideal para o corpo. A rendeira senta-se em frente à almofada que sustenta o risco e da qual pendem os bilros presos pela linha que formará a renda. Na dança dos bilros regida pelas hábeis mãos, os alfinetes vão definindo o caminho labiríntico, segurando o trançado que ganha forma. Os bilros podem ser feitos inteiramente de madeira, no torno, ou montados com semente de buri, uma árvore da região.

Sobre quem cria

Crédito da foto: Helena Kussik

A Associação dos Artesãos de Saubara foi fundada no ano de 1992 e divide sua atuação em duas tipologias: renda de bilros e trançado de palha de licuri. Conta hoje com 110 associadas, das quais 25 são ativas na renda de bilros e 12 ativas no trançado de palha.

No final dos anos 90, a associação teve apoio do SEBRAE através do programa Bahiarte, em parceria com o Instituto de Artesanato Visconde de Mauá e a Associação Movimento João de Barro. No período foram realizados seminários, palestras e consultorias de associativismo. As ações implementadas nos anos de atuação atualizaram as técnicas tradicionais, propondo a otimização do uso da matéria prima, acabamento diferenciado, novos produtos, além de trabalhar também em estratégias de gestão e venda.

Sobre o território

A 94 km da capital Salvador, na região do Recôncavo Baiano localiza-se Saubara. No interior da Baía de Todos os Santos, o município fica próximo à foz do Rio Paraguaçu e por isso tem um paisagem rica e variada, com praias, falésias, áreas de manguezais, mata atlântica, rios e cachoeiras.

A principal fonte de renda da população vem da pesca artesanal, atividade masculina, e da mariscagem, atividade feminina. A íntima relação com o tempo das marés é o que acaba por definir as outras atividades cotidianas da população. O artesanato, como renda de bilro e trançado de palha, são atividades complementares realizadas nas horas vagas, que garantem renda extra às artesãs.

Membros relacionados