A Rede Nacional do Artesanato Cultural Brasileiro é uma iniciativa da Artesol, organização sem fins lucrativos brasileira, fundada em 1998 pela antropóloga Ruth Cardoso. Seu objetivo principal é promover a salvaguarda do artesanato de tradição cultural no Brasil. Por meio de diversas iniciativas, a Artesol apoia artesãos em todo o país, revitaliza técnicas tradicionais, oferece capacitação, promove o comércio justo e dissemina conhecimento sobre o setor.

Artesanato Janaína


Sobre as criações Janaína era ainda criança pequena quando Leonilda Stoikovitch decidiu registrar o negócio com o nome da filha, dessa maneira formalizava o trabalho artesanal que já vinha realizando […]

Mostrar contatos

AbrirFechar
Telefone (41) 99706-4623
Contato Leonilda Macário dos Santos
Rua Anne Frank 5710, Boqueirão, CEP 81730-010, Curitiba – PR

A Artesol não intermedeia relações estabelecidas por meio desta plataforma, sendo de exclusiva responsabilidade dos envolvidos o atendimento da legislação aplicável à defesa do consumidor.

Sobre as criações

Janaína era ainda criança pequena quando Leonilda Stoikovitch decidiu registrar o negócio com o nome da filha, dessa maneira formalizava o trabalho artesanal que já vinha realizando há alguns anos.

A inspiração para a arte com a palha de trigo foi uma garrafa decorada vinda da antiga Iugoslávia, terra do primeiro marido de Leonilda. Ela conhecia a palha dos tempos da roça e ficou intrigada e encantada com as imagens formadas pelas finas hastes. Conta que por muito tempo observou os desenhos até decidir tentar reproduzir, desenvolvendo e aprimorando a técnica. 

Assim como muitos imigrantes que vieram se instalar no sul do país a partir de meados do século XIX, essa arte é de reconhecida origem eslava. Muitos dos padrões e cores são inspirados na cultura dos países do leste europeu, especialmente Ucrânia e Polônia. 

Porém, assim como tudo que por essas terras espraia-se, floresce da criatividade tornando-se também expressão da mistura brasileira. Ainda que reconheça-se a inspiração, a verdade é que a arte com palha de trigo não existiria em terras de cá não fosse a paixão e criatividade de Leonilda.

As estrelas, flores, gregas e correntes são os padrões mais produzidos, mas além desses Leonilda, Silvana e Simone criam infinitas formas que preenchem os espaços do negro que representa o céu noturno com a simetria divina de suas obras. Produzem objetos utilitários e de decoração, caixas dos mais variados tamanhos, porta chaves, chaveiros, pratos, vasos e ovos.

Peça criada pelo grupo Artesanato Janaína / Crédito da foto: Helena Kussik

Sobre quem cria

Em meados dos anos 70 Leonilda Stoikovitch começou a desenvolver a técnica da marchetaria em palha de trigo unindo seus conhecimentos com a inspiração vinda da antiga Iugoslávia. Em 1986 registrou a firma, formalizando o negócio e registrando as funcionárias contratadas para auxiliar na produção. 

Nesses mais de trinta anos de empresa, já chegou a ter 23 funcionárias registradas trabalhando juntas. Hoje trabalham ela, o marido João, o filho Wiliam, Simone e Silvana, que estão na empresa desde o início. 

Simone é responsável pela criação dos desenhos feita com a palha em tom natural, já Silvana preenche os espaços restantes com variações de cores e formas como folhas, flores e pequenos losangos. 

Artesãs e artesãos do grupo Artesanato Janaína / Crédito da foto: Helena Kussik

Sobre o território

Fundada em 1693 como um pequeno povoado bandeirante, Curitiba tornou-se uma importante parada comercial e em 1853 veio a se tornar a capital da recém-emancipada Província do Paraná. A etimologia de seu nome é um tanto controversa, porém há quem diga que a origem é do tupi – “Ku’ri”, que significa “pinheiro” + “tuba”, um sufixo coletivo que tem como significado “pinho, pinhal”. É a terra de muitos pinheiros, a araucária, árvore símbolo do estado. 

A capital tem sua população de quase 2 milhões de habitantes formada por diversas origens e etnias, dentre elas destacam-se a polonesa e ucraniana. O estado do Paraná tem a maior comunidade Ucraniana e Eslava do país e Curitiba tem a segunda maior diáspora polonesa no mundo, perdendo apenas para Chicago.

Principalmente a partir da década de 1980, Curitiba experimentou diversos planos urbanísticos tornando-se conhecida internacionalmente por suas inovações urbanísticas e cuidado com o meio ambiente.

Etapas da confecção das peças / Crédito das fotos: Helena Kussik

Membros relacionados