A Rede Nacional do Artesanato Cultural Brasileiro é uma iniciativa da Artesol, organização sem fins lucrativos brasileira, fundada em 1998 pela antropóloga Ruth Cardoso. Seu objetivo principal é promover a salvaguarda do artesanato de tradição cultural no Brasil. Por meio de diversas iniciativas, a Artesol apoia artesãos em todo o país, revitaliza técnicas tradicionais, oferece capacitação, promove o comércio justo e dissemina conhecimento sobre o setor.

ARTFIO – Associação de Artesãos de Curral Grande


Na Artfio as artesãs utilizam barbantes de algodão colorido em suas criações. Lançam coleções regularmente, produzindo diversas peças com estilo inconfundível. 

Mostrar contatos

AbrirFechar

Os contatos devem ser feitos preferencialmente via Whatsapp.

Telefone (85) 98695-7795
Contato Maria da Conceição Juvêncio Sousa
Rua Principal, s/n – Curral Grande, CEP 62670-000, São Gonçalo do Amarante – CE

A Artesol não intermedeia relações estabelecidas por meio desta plataforma, sendo de exclusiva responsabilidade dos envolvidos o atendimento da legislação aplicácel à defesa do consumidor.

Sobre as criações

A arte de entrelaçar fios com auxílio de uma agulha de metal curvada é antiga, há quem diga pré-histórica, e acredita-se que tenha chegado à Europa no início do século XVIII através das rotas comerciais orientais. Foi amplamente difundida no século XIX quando a francesa Éléonore Riego de la Branchardière publicou livros com padrões que podiam ser facilmente reproduzidos. 

Ao longo dos séculos ocupando os mais diversos territórios, o crochê ganhou as mais variadas formas e estilos. Os pontos básicos recombinam-se em outros e a cada troca de saberes, as possibilidades surpreendem. A composição de cores e padrões é infinita,  podendo-se através do crochê criar formas tridimensionais, como bonecos e outros objetos. 

Foto de divulgação Artesol

A espessura e material da linha influenciam muito no estilo e resultado do trabalho. Na Artfio as artesãs utilizam barbantes de algodão colorido em suas criações. Lançam coleções regularmente, produzindo tapetes, almofadas, caminhos de mesa, cortinas… todas com estilo inconfundível. 

Sobre quem cria

Foto de divulgação Artesol

Aos 100 anos Dona Raimunda ainda tricotava, foi ela quem ensinou às mais novas a técnica aprendida com a mãe Antônia. O crochê, tão tradicional no coração cearense, tornou-se importante fonte de renda para as mulheres da comunidade. 

O grupo foi formado em 2001 e formalizado em 2004. Desde então participam de diversos eventos e feiras do setor apresentando e comercializando os produtos confeccionados pelas mais de 50 associadas. Ao longo dos anos tiveram apoio do Ceart, Sebrae e Agroamigo. 

Desde 2012, em um encontro com Marisa Monte, amiga do grupo e também crocheteira, as artesãs ficaram sabendo da possibilidade de revestir árvores com linhas coloridas crochetadas. Desde então decoraram centenas de árvores e ficaram nacionalmente conhecidas pelo trabalho.

Sobre o território

Na região litorânea, a pouco menos de 100 quilômetros da capital Fortaleza, o povoado foi fundado baseado no monocultivo da cana de açúcar e beneficiamento em uma usina açucareira. Após o fechamento da usina, muitos ficaram desempregados e buscaram ocupações na sede do município de São Gonçalo do Amarante que, por conta da presença do Porto do Pecém e de muitas empresas, há mais ofertas de trabalho. 

Curral Grande é uma comunidade rural de pouco mais de 600 habitantes localizada no distrito de Serrote, em São Gonçalo do Amarante. Entre familiares e amigos, a população é muito unida e o artesanato coloriu ainda mais essa integração.

Membros relacionados